terça-feira, 11 de junho de 2013

SÉRIE: 100 ERROS MAIS COMUNS DA LÍNGUA PORTUGUESA (PARTE I)


Abaixo você vai encontrar uma série de dicas a respeito de ortografia, significação de palavras, acentuação. São erros comuns entre as pessoas que se propõem a escrever. Erros gramaticais e ortográficos devem, por princípio, ser evitados. Alguns, no entanto, como ocorrem com maior frequência, merecem atenção redobrada. Veja os DEZ primeiros erros mais comuns do idioma e use esta relação como um roteiro para fugir deles!

1. "Mal cheiro", "mau-humorado". Mal é advérbio e opõe-se a bem, que também é advérbio. Já a forma
 mau, grafada com "u", é o oposto de bom, ambas adjetivos. É só prestar um pouquinho de atenção que você não vai mais se confundir! Assim, escrevemos: mau cheiro (bom cheiro), mal-humorado (bem-humorado). Igualmente: mau humor, mal-intencionado, mau jeito, mal-estar etc. Fácil, não?

2. "Fazem" cinco anos. Esse erro é muito comum e você deve tomar cuidado para não cometê-lo! Fazer, quando exprime tempo, é verbo impessoal, ou seja, não sai da terceira pessoa do singular. Observe com atenção os exemplos: Faz cinco anos. / Fazia dois séculos. / Fez 15 dias.

3. "Houveram" muitos acidentes. Haver, significando "acontecer" ou "existir", também é invariável (segue a mesma lógica do verbo "fazer", explicado no item anterior): Houve muitos acidentes. / Havia muitas pessoas. / Deve haver muitos casos iguais.

4. "Existe" muitas esperanças. Existir, bastar, faltar, restar e sobrar admitem normalmente o plural: Existem muitas esperanças. / Bastariam dois dias. / Faltavam poucas peças. / Restaram alguns objetos. / Sobravam ideias.

5. Para "mim" fazer. Esse erro é crasso! Lembre-se de que "mim" não faz nada, porque pronome oblíquo não pode, sintaticamente, funcionar como sujeito da oração; apenas como objeto. Assim, escreva: Para eu fazer, para eu dizer, para eu trazer.

6. Entre "eu" e você. Guarde essa dica valiosa: depois de preposição, usa-se mim ou ti. Então, você deve escrever: Entre mim e você. / Entre eles e ti.

7. "" dez anos "atrás". Essa é pior que praga! Aparece aqui e ali, o tempo todo! Vamos entender direitinho o problema: tanto "" como "atrás" indicam tempo passado nessa frase. Temos, então, um clássico caso de redundância! Use apenas " dez anos" ou simplesmente "dez anos atrás".

8. "Entrar dentro". Essa dispensa maiores explicações, não é? O certo é "entrar em". Veja outras redundâncias que você pode e deve evitar: Sair fora ou para fora, elo de ligação, monopólio exclusivo, já não há mais, ganhar grátis, viúva do falecido.

9. "Venda à prazo". Não existe crase antes de palavra masculina, a menos que esteja subentendida a palavra "moda": Salto à (moda de) Luís XV. Nos demais casos: A salvo, a bordo, a pé, a esmo, a cavalo, a caráter.

10. "Porque" você foi? Sempre que estiver clara ou implícita a palavra razão, use por que separado (ainda mais na construção de perguntas!): Por que (razão) você foi? / Não sei por que (razão) ele faltou. / Explique por que razão você se atrasou. Porque é usado nas respostas: Ele se atrasou porque o trânsito estava congestionado.

Estamos apenas começando! Aguardem as próximas postagens! Indique nosso blog aos seus amigos!
Grande abraço a todos.

Professor Daniel Vícola

4 comentários:

Criar Com Coração disse...

nossa, parabéns Daniel, eu amo a língua portuguesa, quer dizer, estou aprendendo, faço um curso e me interesso,você não tem facebook, fica mais fácil acessar as atualizações do blog?
obrigada
Cintia

Prof. Daniel Vícola disse...

Oi, Cíntia!
Tenho uma página no Face, com o mesmo nome do blog: Gramática Aplicada do Professor Daniel. As postagens por lá são diárias! Adicione-a!
Abração!

Eliana Ribeiro dos Santos disse...

Prezado professor:

Excelentes dicas, além de muito didáticas! Assim fica muito mais fácil estudar para concursos, como é o meu caso.

Obrigada por dividir seu conhecimento conosco.

Eliana

Aline disse...

Ideia genial, professor!
Acompanho suas aulas e gosto muito de seu método de introduzir conceitos novos a partir de tirinhas. Abraços!